Projetos de Pesquisa

Em construção.

Projetos de Pesquisa

Somente projetos atuais, para projetos concluídos, referir-se aos respectivos currículos Lattes.

2013 – Atual
DIREITOS E VIOLÊNCIAS NA EXPERIÊNCIA DE TRAVESTIS E TRANSEXUAIS EM SANTA CATARINA: CONSTRUÇÃO DE PERFIL PSICOSSOCIAL E MAPEAMENTO DE VULNERABILIDADES.

Descrição: O presente projeto tem como foco a população de travestis e transexuais no estado de Santa Catarina. Tem como cenário, por um lado, algumas políticas públicas do governo federal voltadas para essa população como o Plano Nacional de Promoção da Cidadania e Direitos Humanos de LGBT, e, o Programa Nacional de Direitos Humanos III (PNDH 3. Por outro, a absoluta ausência de dados demográficos que possibilitem um conhecimento mais confiável que garanta sustentabilidade para as referidas políticas. Pretende-se, basicamente, entender e identificar o cenário atual de violências que perpassam a vida dessas pessoas através de pesquisa a ser desenvolvida para traçar um perfil psicossocial desta população. A insuficiência de pesquisas e projetos que ofereçam dados voltados para esse público, e sua invisibilidade social de maneira geral, apresentam-se como justificativas para a efetuação dessa proposta. No campo da pesquisa há, por exemplo, diversos estudos na área da antropologia que demonstram de forma rica a vivência cotidiana das travestis. Porém, estes estudos têm-se concentrado mais em descrições etnográficas do que na mudança social ou na conscientização política da situação de opressão e humilhação que muitas vezes reflete não só as práticas de abandono das políticas públicas com relação as travestis e transexuais, como também a ausência de pesquisas que construam um perfil socioeconômico desta população. Ademais, tais estudos têm como campo, quase sempre, a área da saúde fato explicado pela abordagem da travestilidade e da transexualidade predominantemente a partir do âmbito da prevenção às DST/AIDS/Hepatites Virais, o que, por sua vez, pode indicar certo abandono analítico de outras esferas sociais tais como educação, saúde, assistência, moradia, lazer e segurança pública. Se por um lado tanto estudos acadêmicos como políticas sociais na área da saúde pública são fundamentais, o exclusivo olhar a partir da questão DST/AIDS/HV restringe e enclausura a comunidade travesti e transexual no binômio doença/tratamento. Considerando estas questões é que ensejamos o desenvolvimento de pesquisa que compreenda a dinâmica do preconceito homofóbico, a capacidade dos gestores e profissionais em identificar este tipo de violência e suas formas de enfrentamento que podem gerar processos e práticas interventivas no âmbito das políticas públicas e, sobretudo, o mapeamento das vulnerabilidades a que a população de travestis e transexuais está exposta em Santa Catarina, dando voz a esses sujeitos. Tem-se como objetivo central diagnosticar as situações de vulnerabilidade e acesso a políticas públicas de saúde, educação, segurança pública e assistência social de travestis e transexuais. Serão utilizados questionários fechados (com travestis e transexuais), entrevistas semiestruturadas (com travestis e transexuais, bem como com gestores de quatro secretarias do estado de Santa Catarina: Saúde, Educação, Segurança Pública e Assistência Social), grupos focais (com travestis e transexuais), além da análise de documentos relativos a políticas públicas voltadas para essa população. A interpretação das entrevistas e de todo o material adquirido e produzido em campo se dará através da confrontação entre a realidade específica dos participantes da pesquisa e os aspectos estruturais identificados através da fundamentação teórica e revisão da literatura, seguindo a orientação de sugerida por Minayo (1992)..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2011 – Atual
Novas formas de subjetivação contemporâneas: práticas e discursos

Descrição: Nesse projeto pretende-se contribuir para a compreensão das formas de subjetivação produzidas no contexto contemporâneo a partir da interseccionalidade entre vetores como sexo/gênero, classe, raça/etnia, gerações. O atravessamento de formas diversificadas de violência é problematizado como um dos elementos que compõem o cenário atual impactando as subjetividades. A problematização dos binarismos da racionalidade moderna mostra-se como fundamental para que se possa avançar nessa compreensão. Nesse caso, sujeitos distintos são trazidos à cena, com os recursos da análise do discurso e da cartografia de forma a complexificar as possibilidades analíticas. A interface com o discurso jurídico e a utilização de operadores conceituais como os jogos de verdade de M. Foucault são utilizados para que se possa analisar a produção do “sujeito desviante” e, nesse caso, a análise da operacionabilidade da norma continua mostrando-se fundamental. Mulheres no/do tráfico de drogas, homens homicidas de mulheres, jovens em liberdade assistida, enunciados que associam a ausência paterna à criminalidade, corpos travestis são elementos que compõem o cenário investigado..
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
2010 – 2013
Gênero, sexo e corpo travesti: abjeções e devires.

Descrição: Tem-se como objetivo principal desse projeto investigar as relações entre processos de subjetivação e produção do corpo, por meio de narrativas de si elaboradas em modo audio-visual por sujeitos travestis. A ambiguidade material sustentada pelo corpo travesti instiga questões importantes para se avançar teórica e metodologicamente nas investigações sobre os modos de subjetivação contemporâneos. Com inspiração na obra de Michel Foucault e Judith Butler, busca-se aqui propor formas de investigação que permitam relativizar o lugar da representação nesses processos..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2009 – 2011
Atenção Integral aos Homens na Saúde

Descrição: A partir da continuidade de pesquisa multicêntrica que incide em três capitais brasileiras – Recife, Vitória e Florianópolis, busca-se investigar as ações voltadas, no âmbito da atenção básica, para a saúde dos homens. Tem-se como marco o Programa Nacional de Atenção Integral à Saúde do Homem, lançado em agosto de 2009 pelo governo brasileiro. Foram entrevistados gestores e profissionais das UBS, além de serem realizados grupos focais com usuários. Os resultados permitem confirmar a ausência dos homens nos serviços de saúde, bem como discutir a hipótese da universalidade na saúde ser baseada no “feminino”, com isso estando quase inacessível aos homens..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2008 – 2011
A paternidade no contexto da gravidez na adolescência:a atenção ao pai na rede básica de saúde em três capitais brasileiras

Descrição: O objetivo deste projeto foi desenvolver uma pesquisa de caráter descritivo e analítico, com vistas a investigar como os serviços de atenção básica em saúde, identificam e orientam as demandas do pai, no contexto da gravidez na adolescência, em Florianópolis e outras duas capitais brasileiras (Recife e Vitória). Pretendeu-se gerar, por um lado, um estudo comparativo baseado em informações produzidas a partir de pesquisa quantitativa, com amostra representativa nas três cidades e, por outro, uma análise qualitativa baseada nos depoimentos e em documentos que permitam uma compreensão particular de cada contexto. Com isso, pretende-se delinear propostas e recomendações na forma de um documento marco, em consonância com as atuais recomendações do Ministério da Saúde, no contexto da Saúde da Mulher e da Saúde do Adolescente e das diretrizes que orientam as políticas de direitos sexuais e reprodutivos no Brasil. Para tanto, o desenho metodológico estruturou-se em três vetores com vistas a: 1) caracterizar as diferentes configurações familiares e o perfil sócio-demográfico dos companheiros das adolescentes grávidas em Florianópolis, Recife e Vitória; 2) apreender qual o lugar que se têm construído para o pai nos serviços e ações voltadas à gravidez na adolescência, na rede de atenção básica à saúde (a partir de entrevistas e análises de documentos); e 3) identificar demandas desses pais a partir de entrevistas semi-estruturadas. Os resultados permitem discutir as fragilidades da atenção básica voltada para a gravidez na adolescência, especialmente no que diz respeito à acolhida do pai..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2007 – 2010
Estreitando o diálogo entre América Latina e Portugal: análise dos programas de atendimento a homens autores de violência contra mulheres

Descrição: A partir da análise dos programas de atendimento a homens autores de violência contra as mulheres no âmbito da América Latina, pretende-se investigar, agora de forma comparativa, a oferta deste serviço em Portugal. Tem-se como proposta a análise da contribuição da Psicologia, de forma a contribuir para a elaboração de estratégia de atendimento desta natureza no Brasil, tendo em conta a Lei Maria da Penha. Os programas são identificados e visitados in loco, possibilitando a obtenção de informaçõe como: formação da equipe, formas de encaminhamento, atendimento e avaliação, financiamentos e natureza jurídica da instituição, aportes teórico-metodológicos utilizados. Uma das etapas do projeto também prevê a caracterização dos autores e situações de violência contra a mulher registrados em instituições como as delegacias especializadas..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2006 – 2008
Violência Sexual e Saúde Mental: análise dos programas de atendimento a homens autores de violência sexual

Descrição: Este projeto tem por objetivo 1) desenvolver uma análise das atuais propostas de ação voltadas ao atendimento a homens autores de violência sexual contra mulheres e 2) implementar uma experiência piloto de atendimento a agressores. A partir dessas duas ações pretende-se delinear uma proposta de atendimento psicossocial, inspirada, por um lado, nas atuais diretrizes do governo brasileiro para redução da violência contra as mulheres e por outro, nas atuais políticas públicas brasileiras em saúde mental, a partir de uma perspectiva crítica. Esta é uma iniciativa conjunta do Núcleo de Pesquisa Modos de Vida, Família e Relações de Gênero (MARGENS) do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina, do grupo de pesquisa Representações, Práticas socioculturais e Processos de Exclusão do Departamento de Psicologia da Universidade Federal do Espírito Santo, do Núcleo de Pesquisa em Gênero e Masculinidades (GEMA) do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Pernambuco e da ONG Instituto PAPAI (Recife). Com apoios da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, do Ministério da Saúde e do CNPq, entre outras organizações, esses grupos vêm desenvolvendo diferentes atividades voltadas para a investigação, intervenção e ensino direcionados à eqüidade de gênero em torno de diversas problemáticas: saúde e direitos sexuais e reprodutivos, violência e discriminações de gênero, paternidades e masculinidades, processos de exclusão/inclusão, bem como ações articuladas com instituições de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Espírito Santo, entre outros estados brasileiros que integram a Rede de Homens pela Equidade de Gênero – RHEG. . .
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.
2006 – 2007
Homens e Serviços de Saúde: rompendo barreiras individuais, culturais e institucionais. Recife, São Paulo e Florianópolis

Descrição: Projeto multicêntrico realizado com o objetivo de análise dos obstáculos enfrentados pelos homens no acesso aos serviços de saúde. Foram realizadas entrevistas semi-estruturadas com gestores dos principais programas da área de saúde sexual e reprodutiva do Hospital Universitário da UFSC, bem como a vice-diretora do Hospital e o secretário de saúde do município. Foram realizados grupos focais com usuários dos serviços. Dentre as principais dificuldades identificadas ressaltam-se aquelas associadas às normatizações de gênero (homens não podem cuidar-se e demonstrar fragilidades, por exemplo), bem como as associadas ao universo do trabalho (dificuldades em ausentar-se do trabalho, tempo longo de espera e horários incompatíveis dos setores de saúde, por exemplo)..
Situação: Concluído; Natureza: Pesquisa.

PATERNIDADE(S) E MASCULINIDADE(S): práticas de cuidados e trocas afetivas em diferentes contextos sociais e geracionais. Projeto contemplado com apoio do Edital Universal de 2004 do CNPq (desde 2005)
Descrição: Projeto em fase de início apoiado com verba do CNPq, obtida por meio do Edital Universal do CNPq/2004, envolvendo três alunos do Mestrado em Psicologia/UFSC. Pretende investigar as produções das paternidades e das masculinidades em contextos sociais diferentes (camadas médias e camadas populares), tendo como foco homens de gerações distintas (jovens e homens de meia idade). Tem-se como matriz teórica de referência a Psicologia Histórico-cultural e como procedimentos de obtenção de informações, entrevistas semi-estruturadas, grupos focais e observações in loco.
Integrantes: Renata Orlandi, Adriano Beiras e Grazielle Tagliamento e Maria Juracy Filgueiras Toneli (coordenadora).
Finaciador: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

Homens e Serviços de Saúde. Projeto de pesquisa financiado pelo Ministério da Saúde (desde 2006)
Descrição: Projeto multicêntrico em fase de início em parceria com o Instituo PAPAI/PE (Recife) e a Faculdade de Saúde Pública/USP (São Paulo), com fomento do Ministério da Saúde (Saúde da Mulher). Tem como objetivos: 1) diagnosticar a oferta e a demanda de serviços de saúde por parte de homens; 2) sensibilizar os profissionais de saúde para a acolhida dos homens; 3) capacitar profissionais e outros atores sociais para a sensibilização de homens em relação aos serviços de saúde; 4) contribuir para elevação da qualidade de vida de homens e mulheres, especialmente no que diz respeito à prevenção de DSTs/aids. Os procedimentos serão variados: questionários, entrevistas, grupos focais, produção de material para a mídia e capacitação.
Integrantes: Juliana Perucchi, Adriano Beiras, Grazielle Tagliamento, Karla Galvão Adrião,  Juliana Ried, Arthur Cabral e Maria Juracy Filgueiras Toneli (coordenadora).
Finaciador: Ministério da Saúde.

Violência Sexual e Saúde Mental: análise dos programas de atendimento a homens autores de violência sexual (desde 2006)
Descrição: Este projeto tem por objetivo 1) desenvolver uma análise das atuais propostas de ação voltadas ao atendimento a homens autores de violência sexual contra mulheres e 2) implementar uma experiência piloto de atendimento a agressores. A partir dessas duas ações, pretende-se delinear uma proposta de atendimento psicossocial, inspirada, por um lado, nas atuais diretrizes do governo brasileiro para redução da violência contra as mulheres e por outro, nas atuais políticas públicas brasileiras em saúde mental, a partir de uma perspectiva crítica. Esta é uma iniciativa conjunta do Núcleo de Pesquisa Modos de Vida, Família e Relações de Gênero (MARGENS) do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Santa Catarina, do grupo de pesquisa Representações, Práticas socioculturais e Processos de Exclusão do Departamento de Psicologia da Universidade Federal do Espírito Santo, do Núcleo de Pesquisa em Gênero e Masculinidades (GEMA) do Departamento de Psicologia da Universidade Federal de Pernambuco e da ONG Instituto PAPAI (Recife). Com apoios da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, do Ministério da Saúde e do CNPq, entre outras organizações, esses grupos vêm desenvolvendo diferentes atividades voltadas para a investigação, intervenção e ensino direcionados à eqüidade de gênero em torno de diversas problemáticas: saúde e direitos sexuais e reprodutivos, violência e discriminações de gênero, paternidades e masculinidades, processos de exclusão/inclusão, bem como ações articuladas com instituições de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Pernambuco, Espírito Santo, entre outros estados brasileiros que integram a Rede de Homens pela Equidade de Gênero – RHEG.
Integrantes: Adriano Beiras, Danilo de Assis Clímaco, Suzana Almeida Araújo, Alex Simon Lodetti, Juliana Ried, Arthur Grimm Cabral e Maria Juracy Filgueiras Toneli (coordenadora).
Finaciador: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

Paternidade na adolescência: sentidos e práticas de cuidados dos filhos (desde 2005) .
Descrição: Este  é a continuidade de “Exercício dos direitos sexuais e reprodutivos: caminhos para a construção de outros olhares sobre os adolescentes”, projeto multicêntrico levado a cabo entre 2004 e 2005
Integrantes: Maria Juracy Filgueiras Toneli (coordenadora).

Projeto Homens e Serviços de Saúde: rompendo barreiras individuais, culturais e institucionais. Recife, São Paulo e Florianópolis (desde 2005).
Descrição:
Integrantes: Maria Juracy Filgueiras Toneli – Coordenador.

As mulheres e a casa (desde 2003).
Descrição:
Situação: Em andamento; Natureza: Pesquisa.
Integrantes: Mara Coelho de Souza Lago – Coordenador.

Concluídos

Violência sexual infanto-juvenil: Atenção a vitimizadores sexuais, suas vítimas e acompanhantes no município de Florianópolis (2006)
Descrição: A realização deste projeto de extensão universitária deu-se em parceria com uma iniciativa da Secretaria de Saúde do município de Florianópolis, que através da elaboração da Rede de Atenção Integral às Vítimas de Violência Sexual possibilitou a implantação de um projeto de atenção a autores e vítimas de violência sexual, assim como seus familiares. Este, posteriormente denominado Projeto Fênix, surgiu através do entendimento de que para interferir no ciclo de geração de violência é necessário trabalhar não apenas com as vítimas, mas também com as pessoas que cometem a violência, sendo este objetivo pioneiro dentro do Sistema Único de Saúde. Com uma equipe formada por três psicólogos e uma assistente social, além de uma supervisora e a coordenadora geral, o projeto Fênix também agregou a parceria com o núcleo de pesquisa MARGENS modos de vida, família e relações de gênero (Dep. de Psicologia/UFSC) que, com financiamento do DAEx/UFSC e bolsas de extensão, vem se engajando nesta iniciativa com o intuito de contribuir para a literatura e disseminar os programas de atendimento aos autores e vítimas de violência sexual, bem como delinear uma metodologia de intervenção. Objetivos estes que se tornam ainda mais urgentes quando pensados em relação aos sujeitos que cometeram alguma agressão, visto que a maioria dos espaços já existentes presta atendimento apenas às vítimas de violência. Configura-se, assim, uma grande demanda por serviços que possibilitem ao autor da agressão reconhecer sua dificuldade e criar instrumentos para lidar com ela, abrindo-se um espaço para a desconstrução de uma posição marginalizada, bem como tornando possível a este a construção de uma nova postura em seu cotidiano, visando à interrupção do ciclo de geração e reprodução da violência.
Integrantes: Alex Simon Lodetti, Juliana Ried, Arthur Grimm Cabral e Maria Juracy Filgueiras Toneli (coordenadora).

(2003) Mulheres da terra e do mar
Descrição:
Integrantes: Fernanda Lago e Mara Coelho de Souza Lago – Coordenadora.

(1997 – 1999)  Pintando o 7: construindo indicadores metodológicos para o trabalho psicopedagógico. Projeto contemplado com bolsa PIBIC.
Descrição: Pesquisa que buscou, através de oficinas com crianças da rede pública municipal de ensino de Florianópolis, construir procedimentos e indicadores metodológicos que objetivassem o desenvolvimento das funções complexas. Com base na Psicologia Histórico-cultural, teve-se como eixo fundamental o conceito de mediação (sígnica e instrumental).
Integrantes: Maria Juracy Filgueiras Toneli – Coordenadora.
Finaciador: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

(1999 – 2000)  Paternidade Adolescente: seu lugar nos programas públicos na área de saúde reprodutiva da região da grande Florianópolis. Projeto financiado, por meio de concurso da Fundação MacArthur e da Fundação Carlos Chagas.
Descrição: Projeto de pesquisa aprovado em concurso de Fundação MacArthur/Fundação Carlos Chagas, que buscou investigar a inclusão/exclusão de adolescentes pais de programas de atendimento pré-natal na região da grande Florianópolis. Procedimentos: observações de sala de espera, questionário e entrevistas semi-estruturadas com mães, pais e profissionais da sáude. Os resultados demonstram a exclusão dos jovens pais dos programas que insistem em atribuir a eles o caráter de irresponsbailidade e imaturidade, sem, no entando, conhecê-los. Os jovens, pais e mães, em contrapartida, atestam um exercício ativo por parte dos pais no que diz respeito à sua participação na gestação e preparativos para a chegada do filho. Novas paternidades surgem sem apoio dos serviços de saúde pública.
Integrantes: Maria Juracy Filgueiras Toneli – Coordenador.
Finaciador: Fundação MacArthur.

(1999 – 2001)  Gênero-corpo-trabalho: um estudo sobre esta relação no universo das professoras das séries iniciais da rede pública de educação de Florianópolis. Projeto contemplado com bolsas PQ e IC do CNPq.
Descrição: Pesquisa que investigou as condições de saúde-doença no universo das professoras das série iniciais da rede pública municipal de ensino de Florianópolis. Foram utilizados: consultas aos prontuários da Gerência de Saúde do Servidor, questionários e entrevistas com oito professoras. Os quadros depressivos são constantes, bem como doenças do aparelho reprodutor, do sistema respiratório e do sistema ósteomuscular. As profissionais queixam-se da sobrecarga de trabalho e da dupla jornada (casa-escola). A divisão sexual do trabalho permanece como marcadora da vida cotidiana e a desvalorização do trabalho docente é evidente..
Integrantes: Maria Juracy Filgueiras Toneli – Coordenadora.
Finaciador: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

(2001 – 2002)  Sexualidade e paternidade na adolescência: concepções de adolescentes do sexo masculino no município de Florianópolis. Projeto contemplado com bolsas PIBIC.
Descrição: Pesquisa que buscou investigar as concepções e práticas de adolescentes no âmbito da sexualidade no município de Florianópolis.
Integrantes: Maria Juracy Filgueiras Toneli – Coordenador.
Finaciador: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

(2001 – 2004) Sexualidade e paternidade na adolescência: concepções de adolescentes do sexo masculino – pais e não pais – no município de Florianópolis. Projeto contemplado com bolsas PQ e Ic do CNPq.
Descrição: Projeto de pesquisa que buscou investigar as práticas sexuais e as concepções de paternidade de jovens homens estudantes do município de Florianópolis e do município de São José..
Integrantes: Maria Juracy Filgueiras Toneli – Coordenador.
Finaciador: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

(2004 – 2005) Exercício dos direitos sexuais e reprodutivos: caminhos para a construção de outros olhares sobre os adolescentes. Projeto multicêntrico contemplado com bolsas PQ e Ic do CNPq e com verba do Ministério da Saúde, em parceria com o Instituto Papai e
Descrição: Projeto multicêntrico desenvolvido em cinco capitais brasileiras (Florianópolis, Recife, Manaus, Brasília e São Paulo), em parceria com o Instituto Papai, com o objetivo de investigar em profundidade as práticas sexuais e reprodutivas de adolescentes, bem como os sentidos atribuídos a elas e os cuidados com o próprio corpo. Os procedimentos utilizados são grupos focais e entrevistas semi-estruturadas com jovens de 15 a 24 anos matriculados em escolas da rede pública de ensino.
Integrantes: Maria Juracy Filgueiras Toneli – Coordenador.
Finaciador: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

(2003) Concepções e práticas preventivas de adolescentes da rede pública de ensino no município de Florianópolis/SC. Projeto contemplado com bolsas PIBIC
Descrição: Pesquisa que buscou investigar as práticas preventivas (DSTs/Aids e gravidez) efetivadas ou não por adolescentes (10-19 anos) no município de Florianópolis.
Integrantes: Maria Juracy Filgueiras Toneli – Coordenador.
Finaciador: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

(2003 a 2005) Paternidade e práticas de cuidados: diferentes olhares teórico-metodológicos em Psicologia. Projeto apoiado com verba do CNPq, obtida por meio do Edital para Ciências Humanas do CNPq/2003, envolvendo alunos de graduação e de pós-graduação sob a orien
Descrição: Projeto de investigação em parceria com dois outros professores doutores do Programa de Pós-graduação em Psicologia/UFSC que pretende investigar as práticas de cuidados com os filhos com o foco na paternidade, por meio de procedimentos e olhares teóricos diferentes: Etologia, Psicologia Histórico-cultural, Abordagem Ecológica do Desenvolvimento Humano. Os procedimentos previstos são: entrevista de genograma, escala de estilo parental, entrevista smei-estruturada e observação direta. Serão entrevistados pais e mães oriundos de setores de baixa-renda, identificados através das unidades de saúde..
Integrantes: Maria Juracy Filgueiras Toneli – Coordenador.
Finaciador: Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.